Abandono de gatos. Conheça o projeto Felinos

Um projeto lindo, criado por uma pessoa que admiro muito pelo envolvimento que sempre teve com animais silvestres e domésticos. Aparecida Negreiros é carioca, educadora e com certeza, É EXEMPLO PARA TODOS QUE QUEREM AJUDAR GATOS ABANDONADOS que aparecem em condomínios, hotéis, shoppings, casas comerciais, praças de nossas cidades! 

 Gatos estão presentes em muitos lares. São amados, cuidados, mas também são abandonados. A realidade é que existem mais animais vivendo nas ruas do que pessoas com possibilidade de adotá-los. O animal abandonado, quando consegue sobreviver, procura refúgio. Uma vez estabelecido, começa a se reproduzir e a perambular procurando alimento. Olhando mais amplamente, milhares de animais vítimas do abandono morrem por fome, doenças, maus tratos e acidentes.

5Capturar, Esterilizar e Devolver

O que fazer diante dessa situação? Este é um desafio que várias cidades ao redor do mundo enfrentam. O método CED (Capturar, Esterilizar e Devolver) vem sendo usado como resposta.

Antigas políticas de captura e extermínio impostas por diversos governos em décadas passadas, além de contar com reprovação social, são atualmente inaceitáveis, especialmente diante do avanço das leis de proteção animal. Além disso, tais políticas mostraram-se ineficazes, pois não atuam nas principais causas do problema: a procriação descontrolada dos animais, e a falta de informação das pessoas.

Ainda hoje é comum a busca de soluções que não dão certo para lidar com populações de gatos: a tentativa de retirada dos animais, ou a proibição da alimentação. É comum pensar “tem gatos aqui porque alguém alimenta. Parando, vão embora.” Engano. Gatos ocupam territórios onde há abrigo e oferta de comida. Uma vez instalados, a retirada de alimento fará com que se aproximem e perambulem ainda mais.

No caso da tentativa de retirada, fica a pergunta: os animais serão enviados para onde? Abrigos não são solução, pois não existem em número suficiente e não possuem capacidade de receber grandes quantidades de felinos. Inclusive a tentativa de retirada e a proibição de alimentação pode caracterizar crime de maus tratos aos animais. É importante ressaltar que gatos são territoriais, portanto retirar os antigos deixa o território livre para a chegada de novos que vivem no entorno, o chamado efeito vácuo. Então o que fazer?7

Projeto Felinos

Com esta pergunta em mente e uma enorme vontade de ajudar nasceu o Projeto Felinos. Ao longo de nove anos tem sido possível ajudar empreendimentos e instituições, que possuem grupos de gatos vivendo em suas dependências. O Projeto Felinos possui um protocolo de ações, as principais são:

1-Planejamento: organização da equipe, orçamentação e certificação de como o projeto será custeado. Avaliação da quantidade e localização dos animais onde o projeto está sendo implantado

2- Definição da equipe: Coordenador, Tratador, Capturador/Resgatista, Clínica Veterinária

3- Instalação dos pontos de alimentação

4- Captura, identificação do animal e a que grupo ele pertence

5- Encaminhamento para a clínica veterinária para esterilização e marcação na orelha (sinal que foi castrado), vacinação e vermifugação

6- Devolução dos animais ao local onde vivem

7- Adoção de filhotes

8- Monitoramento dos animais

3As ações do Projeto são custeadas pelos próprios empreendimentos onde vivem os gatos, como também a execução das atividades do dia a dia. Não são raras administrações sem saber o que fazer diante do desafio. Com a implantação do Felinos, os animais passam a ter uma rotina mais previsível e controlada, beneficiando os gatos, mas também as pessoas e os empreendimentos. O manejo dos animais passa a ser uma rotina assim como os resultados esperados. O mundo atual vem se posicionando em não admitir empresas e produtos que provoquem maus tratos aos animais, incluindo o risco de criminalização dos administradores e dos empreendimentos. Há ainda muito o que fazer, mas é possível colocar mãos à obra e acreditar que é possível mudar e fazer a diferença!

 Aparecida Negreiros

Os nomes dos locais onde o projeto é instalado é mantido em segredo para que não passe a ser local de abandono. Apenas um exemplo: em um shopping do Rio de Janeiro, vivem na colônia 200 gatos. Todos castrados e alimentadas. Há muito tempo não procriam.
Nas conversas com Aparecida, que é convidada para falar por empresas, protetores, ONGS  e instituições como Ministério Público, tive ainda mais provas de como dá certo a parceria, o diálogo entre poder público, privado, funcionários de empresas e protetores! Neste  link todos detalhes! É para inspirar! Servir de exemplo!!!!