Se não puder ou quiser cuidar, não tenha um PET

Foi com enorme tristeza que ficamos sabendo do resultado de uma pesquisa realizada com donos de animais de estimação: 60%  revelaram estar dispostos a ABANDONAR os bichos*.

 Os motivos são diversos: dificuldades de adaptação, arrependimento, idade e doenças estão entre os principais. Se considerarmos ainda que, segundo o IBGE, 44,3% dos lares brasileiros têm pelo menos UM cachorro, chegamos ao motivo pelo qual tantos animais abandonados vagam pelas ruas das cidades.

Pode parecer contraditório, mas depois destes dados, mesmo quem tanto luta pela adoção de bichos pode concluir que o melhor - pelo menos para muita gente - é não fazer isto. Porque tão cruel quanto abandonar é adotar e devolver.

Não é só um bicho

Diversos estudos já comprovaram aquilo que quem tem animal de estimação e os ama e acolhe como parte da família sabe: os animais têm sentimentos, reconhecem os cuidados e a dedicação dos donos e, acima de tudo, RETRIBUEM com um amor e devoção infinitos. Não é, portanto, "apenas" um bicho.

Pensando muito bem antes de decidir

Listamos aqui algumas questões que todos devem ponderar com muito equilíbrio e sinceridade ANTES de querer ter um bicho:
- Impaciência: se você é impaciente, quer que tudo seja do seu jeito, não consegue lidar com "ordens não cumpridas", melhor não ter animais. Mesmo treinados, eles não são robôs e tem, sim, vontade própria;
- Excesso de compromissos: você não para nunca em casa, tem uma vida agitada com dezenas de compromissos todos os meses. Para quê quer ter um bicho? Qual o sentido de levar para casa e deixar sozinho? Ou pior: deixar trancado numa área de serviço ou do lado de fora da casa?
- Dinheiro: não quer gastar com rações de melhor qualidade, medicamentos, vacinas, consultas ao veterinário? Então esqueça a ideia de ter bichos. Eles precisam de cuidados com a alimentação e a saúde;
- Bicho não é brinquedo: cães e gatos (para ficar apenas nos exemplos mais populares) não vêm com botão liga/desliga. Eles pedem nossa atenção. Querem brincar, participar das nossas coisas ou simplesmente ficar junto. O senso de família - seja ela uma matilha na natureza ou a família humana - é muito forte para eles. Mesmo os gatos, tidos como solitários, gostam de estar junto e sentir integrados ao ambiente doméstico;
- Não conseguir cuidar: muita gente acha bom ter um pet para "ensinar às crianças a ser responsáveis". Com todo respeito, esqueça isto. Crianças podem até se envolver com cuidados no começo, ou durante alguns momentos mas não serão as principais responsáveis pelos bichos. É você que vai ter limpar eventuais sujeiras, cuidar do pelo, levar no banho, no veterinário, etc;
- Carinho: esta nem seria preciso dizer, mas vamos lá: se você não é uma pessoa carinhosa, capaz de demonstrar afeto, quer um bicho por quê?
- Amigo não abandona amigo: nunca. Nem no fim da vida. Nem na doença ou na dificuldade. Nem pense em ter um animal de estimação se for para deixá-lo à própria sorte no fim da vida. Fazer isto é desumano, cruel.

*link para a reportagem da Record sobre o assunto.